domingo, 5 de fevereiro de 2012

Mas eu queria te contar, se é que você já não sabe, que as minhas certezas sobre nós dois não mudaram, estão na mesma gaveta, talvez guardadas num vídeo-poesia, na sua taquicardia, na minha hora do chá, nas tardes de nostalgia, nos sentimentos que ficaram estagnados nos meus parágrafos sem lugar. E que hoje eu amanheci mais bonita e caminhei debaixo do dia líquido, sem guarda-chuva, quase descalça, leve, disposta, sem procurar respostas.


Um comentário:

  1. O problema é que com toda liberdade
    tropeçamos em algumas pedras
    batemos as asas na própria
    liberdade
    mas é preciso voar
    pintar os lábios de vermelho
    não acreditar tantos nos espelhos
    e sair do ninho.

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir

Blogroll

Archive