quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012


- E aí, tá animada?

Engoli á seco. Minha mente tentou buscar nos cantos mais ocultos do meu cérebro alguma resposta, alguma reação. Essa coisa de trocar comida-feita/roupa-lavada por viver totalmente sozinha na busca de uma independência, talvez precoce, tem me desgastado mais do que o esperado. A gente enxerga o mundo lá fora com tanta facilidade. Olha: arranja um apartamento bacana, num lugar bom, num preço bom, depois a gente vira mestre na cozinha, organiza nossa rotina de estudos, e aprende a andar numa cidade de 1.746.896 milhões de habitantes e a diferenciar a parte desses olhares que observam cuidadosamente sua bolsa, seu relógio, seu celular.  E aí você se adapta. Você vai fazer novos amigos, e vai amar ficar mais da metade do seu dia completamente sozinha. Nem um ruído. Nem um conforto. Sozinha. Mas na realidade, eu parei de ter tanto medo. No fim das contas, nada do previsto está acontecendo, e nem vai acontecer. Só que tem uma coisa. Eu não vou desistir. Eu juro.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012







Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho,
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom.
                 Contorceu-se de seus mesmos medos e murmúrios.
                             Foi pra outro lugar, reviver então.
Repassar as dores amargas das despedidas,
pra ir jogando de lado, fazendo as malas 
e passando o futuro para o lado de lá.
Saltava então do pensamento, 
flutuando em seus sonhos quase de pé.
Sentando um pouco pra respirar
se virou, e lá estava um mundo inteiro,
onde as lembranças não cabiam 
em lugar nenhum, mas faziam parte
de um todo. Onde começaria 
novos sorrisos, e 
colecionar suas fantasias,
com o pé no chão.
 Costumamos esquecer que não podemos impedir a mudança: tudo dança a coreografia sábia e implacável da impermanência. Mas a música daquilo que verdadeiramente nos toca com amor, não importa o quanto tudo mude - e tudo muda -, não deixa nunca mais de tocar e viver, de algum jeito, no nosso coração. 




terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Um jeitinho fofo, desacentuado, e apaixonante.. de me conquistar de corpo. E alma. 
Veja só o que clareou meu dia hoje:




oi meu amor, eu to com tanta saudade de ti minha vida, queria tanto poder te abraçar e te encher de beijos todos os dias, poder te chamar de pretinha, nega, angolana, glória maria. sabe, tenho saudade do teu abraço neguinha, daquele abraço apertado seu, aquele igual ao de uma criança de 5 anos quando ganha um ursinho de pelúcia novo, sinto falta do teu sorriso, que toma conta de qualquer ambiente, deixando o lugar até mais feliz, sinto falta meu amor, dos teus olhinhos encolhidos, mas cheios de brilho, do seu cabelo que agora é totalmente liso até depois do banho kkk e agora tá até mais clarinho né amor, mais continua lindo, como sempre foi. tenho saudade das suas perninhas tortinhas, que quando eu falo que elas são tortinhas, elas desentortam de uma maneira sobrenatural, saudade da sua risada, menos daquela que agente quer provar quem realmente ta certo, e você quase sempre tá certa e fica tirando sarro de mim, tenho saudade até das suas broncas, as vezes algumas que não fazem o menor sentido e que te fazem parecer louca e neurótica, as outras que eu levo como lição de vida, e as outras que viram risada e viram ótimas recordações, sinto saudade daquela sala, com eu e você deitados no cochão vendo filmes e seriados, contando histórias e dando muita risada, sinto falta de te ver vindo naquela rua de casa, toda brava que eu me atrasei denovo, saudade de cada vez que agente se olhava no espelhão daquela casa que ficava bem de cara com aquela ladeira, e agente olhava e falava: - será que agente combina? sinto saudade das tardes de inverno que nós ficavamos embaixo de 2 cobertores, mais o momento esquentava tanto que no fim morriamos de calor, sinto saudade de ir embora da escola de mão dada com você como um casal de criançinhas, sinto saudade de te deixar naquela esquina da igreja, rezando para que você mudasse de idéia e fosse almoçar comigo em casa, sinto saudade de te ver vindo com aquela camisa de catequista toda sorridente se achando a professora. sinto saudade de te beijar no pescoço e sentir sua pele ficar toda arrepiada. sinto saudade de você puxando meu rabinho do cabelo quando ele era comprido, sinto saudade de ouvir você falar, amor vai emagrecer, sinto saudade de te ligar de vez enquando e você estar chorando por algo esquisito que aconteceu, sinto saudade das suas tpms que variavam desde engraçadas até infernais, sinto saudade de tentar cutucar o seu nariz e você tirar falando: - que nojo. sinto saudade de puxar seu cabelo e ver aquela sua cara sexy querendo me beijar, sinto saudade de nós dois encolhidos naquele sofá verde lá de casa, sinto saudade de você reclamar: - larga esse videogame e me da atenção rafael. sinto saudade de nós dois chorando por quase duas horas que nem bebes quando agente recebeu a notícia que eu ia voltar pra cá, sinto saudade de nós dois sentados nas calçadas da rua 20 de agosto porque você não queria entrar por causa que tinha vergonha, sinto saudade de te zuar e você fazer aquela cara séria tipo: - vou te matar. sinto saudade de nós deitados até tarde no sofá aqui de casa vendo um montão de filmes. sinto saudades de você cochichar tikitikitikitikitikitikitikitikitikitiki no meu ouvido e eu morrer de dar risada, sinto saudade da sua insegurança pra qualquer coisa, sinto saudade de olhar meu telefone de vez enquando ver seu nome escrito e pensar: - puta fodeu, esqueci de ligar. sinto saudade de tudo em você meu amor, de todos os nossos momentos, de todo o seu corpo, sinto saudade de você minha vida, porque preta, você é demais, você é mais que demais, você é a menina mais especial que eu já conheci, e eu quero casar com você, ter meus filhos com você, e morrer do seu ladinho, você é minha, e não tenha a mínima dúvida que eu sou seu, sou todo seu,  e preta, nunca me abandone, porque sem você eu não sou nada, você é a razão do meu viver, e se eu pudesse te pedir em casamento, eu pedia todos os dias, mas ta um poquinho cedo amor kkkk, eu te amo minha vida, você é meu anjo anjo da guarda a coisa mais importante que me aconteceu, eu te amo, e espero ter você do meu lado sempre, porque preta hoje eu não sou mais rafael neves, eu sou o rafael neves da anne, e sem você meu amor, eu não sou ninguém.
Eu sei que eu não sou perfeita. Sou uma garotinha boba, cheia de mimos e orgulhos. Eu sei muito bem de todos os meus defeitos. Eu quero fingir que sou perfeita pra poder parecer um pouquinho contigo. E não porque você é perfeito. Já passei da época de acreditar em gente perfeita. Gente perfeita não é gente. Porque não tem, ora essa. Tento parecer perfeita porque você merece algo muito mais bonito e puro do que o normal. Tenho me acostumado a rir muito mais de mim mesma porque você me acha engraçada e a sair mais enfeitada porque mesmo sabendo que não, tenho a impressão de que você me vê andando por aí, escutando sempre as mesmas músicas, no mesmo horário de sempre, mudando apenas os caminhos. Tenho me acostumado às mensagens ao longo do dia, aos seus mimos, a você sendo meu ouvinte passivo e sempre tão assertivo nas suas opiniões. Gosto dos seus cuidados e do respeito que você tem pelo meu lado mais maduro. Mas eu sei que você adora minhas molecagens .. Gosto tanto da beleza que você me deu! Gosto do seu olhar atencioso e da sua maneira prática de me ajudar respeitando afetuosamente o meu tempo de resolver as coisas. Desculpa esses meus errinhos ortográficos e rotineiros. Tenho aprendido a rasgar garganta a baixo esse meu orgulho. Tá chovendo um bocado lá fora, e eu fico lembrando da sua maneira de pronunciar "Minha preta" "Minha neguinha".. Porque o escorrer da água torna tudo mais sinfônico, como a tua voz mansinha, repetindo e calando. Poupando as palavras chulas, meu amor, você me dá sorte na vida.


Blogroll

Archive