quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

''Sobe, belo astro, sobe e mata de inveja a pálida lua.''



Romeu e Julieta. Quer coisa mais clichê que isso?
Que seja.. Fiquei encantada!
Todo mundo sabe (basicamente) a história de amor desse incrível romance.. Assim como eu. O que acontece é que realmente, o enredo é lindo! Apaixonante, intrigante. Me peguei trêmula e envolvida, mesmo sabendo o fim. O filme é de 1996, e o Leonardo Dicaprio está irresistivelmente fofinho. A versão mantém as falas originais, mas a cidade fictícia é ''moderna'', o que não torna cansativo. Cada fala produzida por Shakespeare, traz de forma erudita e fina, o amor do jovem casal. Com toda razão do mundo, ''Romeu e Julieta'' superou as barreiras do tempo e desda da sua primeira publicação, em 1597, vem encantando pessoas de todo mundo.

ATO II - CENA II

''JULIETA - Dize-me como entraste e porque vieste. Muito alto é o muro do jardim, difícil de escalar,
sendo o ponto a própria morte - se quem és atendermos - caso fosses encontrado por um dos meus
parentes.

ROMEU - Do amor as lestes asas me fizeram transvoar o muro, pois barreira alguma conseguirá deter do
amor o curso, tentando o amor tudo o que o amor realiza.''

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogroll

Archive